Tempo
|

Novo bispo do Porto deve ser anunciado antes de 7 de Julho

20 mai, 2013 • Filipe d’Avillez com Lusa

Aguardam-se várias nomeações episcopais para os próximos meses em Portugal, incluindo um novo bispo das Forças Armadas e um auxiliar para Lisboa.  

A Igreja católica ainda não escolheu o novo bispo do Porto, mas o nome deve ser anunciado antes de D. Manuel Clemente assumir o patriarcado de Lisboa, disse esta manhã à Lusa o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa.

Embora sublinhando que a lei canónica não obriga a que o substituto de D. Manuel Clemente à frente da diocese do Porto seja escolhido antes da saída do actual bispo, o padre Manuel Marujão admitiu que esse é o cenário mais provável.

“Ainda não se sabe [quem é], mas deve ser anunciado antes de 7 de Julho”, altura em que o actual bispo do Porto assume o patriarcado de Lisboa, referiu.

Teoricamente qualquer padre ou bispo pode ser escolhido para o cargo. No Porto já existem três bispos auxiliares, D. Pio Alves de Sousa, D. João Lavrador e D. António Taipa.

Há ainda outras vagas episcopais a preencher em Portugal. Lisboa tem tradicionalmente três bispos auxiliares, mas actualmente há apenas dois, pelo que em breve deverá ser nomeado um terceiro, provavelmente solicitado por D. Manuel Clemente.

Também o bispo das Forças Armadas, que completou 75 anos em Fevereiro, está à espera que lhe seja nomeado sucessor. O Papa Francisco pode nomear alguém para assumir o cargo a tempo inteiro ou então pode escolher voltar ao modelo antigo, em que outro bispo, como por exemplo um dos bispos auxiliares de Lisboa, acumula o cargo.

Por fim, há ainda dois bispos diocesanos, de Angra do Heroísmo e de Beja, que anunciaram este ano que vão pedir ao Papa que lhes designe um coadjutor. A diferença entre um bispo coadjutor e um auxiliar é que o coadjutor é nomeado para ajudar o actual mas também para lhe suceder logo que atinja a idade de resignação.

D. Manuel Clemente, de 64 anos, foi nomeado no sábado para suceder a D. José Policarpo enquanto patriarca de Lisboa.

O actual bispo do Porto, que é também vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, assumiu a diocese em 2007, mas é natural da arquidiocese de Lisboa, tendo nascido em Torres Vedras.

[Notícia corrigida às 10h38]