Tempo
|

"Desemprego chegou ao limite. Há que tomar medidas que se vejam"

09 mai, 2013

Bispo auxiliar de Lisboa defende que o país atingiu um ponto que é perigoso.

"Desemprego chegou ao limite. Há que tomar medidas que se vejam"

O bispo auxiliar de Lisboa diz que é tempo de o Governo tomar decisões que se vejam no combate ao desemprego. D. Nuno Brás, em declarações ao programa de actualidade cristã das quartas-feiras na Renascença, adverte que a taxa de desempregou chegou a um nível "limite".

“A taxa de desemprego chega, basta, chegou ao limite. Há que tomar medidas concretas e medidas que se vejam”, afirma o prelado.

O bispo auxiliar de Lisboa defende que o país atingiu um ponto a partir do qual fica socialmente mais perigoso com mais cortes.

“É importante que o Governo tenha em conta que o país atingiu o ponto a partir do qual começa a ser socialmente perigoso fazer mais cortes e ir mais além, sobretudo sem dar o outro lado do desenvolvimento”, afirma.

D. Nuno Brás espera que não haja nenhum corte nos apoios às instituições particulares de solidariedade social (IPSS) e que o Governo perceba que elas são a “grande almofada para a situação social portuguesa”.

A situação económica e social e os novos cortes anunciados pelo Governo foi um dos temas do debate de actualidade cristã das quartas-feiras na Renascença, com D. Nuno Brás, o juiz Pedro Vaz Patto e a jornalista vaticanista Aura Miguel.