Tempo
|

Papa apresenta vida espiritual como resposta aos anseios da humanidade

08 mai, 2013 • Ecclesia

Durante a audiência, o Papa evocou a festa litúrgica de Nossa Senhora de Luján, “celestial patrona da Argentina”, manifestando “sincero afecto” aos seus compatriotas.

Papa apresenta vida espiritual como resposta aos anseios da humanidade
O Papa Francisco afirmou hoje no Vaticano que a vida espiritual é a resposta aos anseios da humanidade e que o Espírito Santo revela Deus como pai de cada pessoa.

“Deixemo-nos guiar pelo Espírito Santo, deixemos que Ele nos fale ao coração e nos diga que Deus é amor, que nos espera sempre, que Ele é pai, que nos ama como um verdadeiro papá”, afirmou, na catequese da audiência semanal que decorreu na Praça de São Pedro, perante dezenas de milhares de pessoas.

Francisco frisou que “o homem de todos os tempos e de todos os lugares” tem o desejo de uma “vida plena e bela, justa e boa” que não seja “ameaçada pela morte”, mas que possa “amadurecer e crescer”.

“O homem é como um viajante que, atravessando os desertos da vida, tem sede de uma água viva, borbulhante e fresca, capaz de dessedentar em profundidade o seu desejo profundo de luz, de amor, de beleza e de paz”, acrescentou.

Segundo o Papa, essa “água viva” é o Espírito Santo, o “grande dom de Cristo ressuscitado” e “fonte inesgotável da vida de Deus” em cada cristão, que deve ser “uma pessoa que pensa e age segundo Deus, segundo o Espírito Santo”.

“O Espírito Santo traz aos nossos corações a própria vida de Deus, uma vida de verdadeiros filhos, num relacionamento feito de confidência, liberdade e confiança no amor misericordioso do Pai, que nos dá também um olhar novo sobre os outros, fazendo-nos ver neles irmãos e irmãs que devemos respeitar e amar”, assinalou a catequese papal.

Francisco voltaria ao tema na sua página da rede social Twitter, com mais de seis milhões se seguidores em nove línguas, incluindo o português: “Diz Jesus: Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância. Esta é a verdadeira riqueza; não a material!”.

Durante a audiência, o Papa evocou a festa litúrgica de Nossa Senhora de Luján, “celestial patrona da Argentina”, manifestando “sincero afecto” aos seus compatriotas.

O momento foi sublinhado pelas palmas dos presentes, a quem Francisco pediu um aplauso “mais forte”.

Uma imagem da Virgem de Luján esteve hoje ao lado da cadeira da presidência e o Papa depositou ali um ramo de flores, antes da audiência geral.

No final do encontro, Francisco tomou a palavra para sintetizar as intervenções anteriores, de improviso.

“Devemos escutar o espírito Santo que está dentro de nós, ouvi-lo. E o que nos diz? Que Deus é bom, que Deus é pai, que Deus nos ama, que Deus nos perdoa sempre. Ouçamos o Espírito Santo”, concluiu.