Tempo
|

Sete mil elementos da GNR para garantir segurança de peregrinos a Fátima

29 abr, 2013 • Celso Paiva Sol

Andar sempre em fila indiana e com colete reflector é um cuidado básico para quem caminha até Fátima. Peregrinos devem evitar usar auscultadores, explica oficial da GNR.  

Está na estrada a operação da GNR que vai acompanhar os peregrinos a caminho de mais um aniversário das Aparições de Fátima. Até 13 de Maio, cerca de 7.000 militares vão fazer parte do esquema de segurança.

A GNR programou mais de três mil acções para tentar proteger quem faz o percurso a pé, que passam essencialmente pelo controlo da velocidade dos automóveis, como explica à Renascença o major Gonçalo Carvalho. "O objectivo é garantir o policiamento orientado para estas vias onde os peregrinos se deslocam. A GNR, além de operações STOP, fará o controlo de velocidade nessas vias mais críticas, vai ajudar os peregrinos a deslocar-se em segurança e vai aconselhar a deslocarem-se da melhor forma, de modo a não serem vítimas de acidente", diz.

"Estarão essencialmente no IC2 para os peregrinos oriundos da região do Porto, no IC3 para os oriundos da linha Lamego e de Viseu, na zona de Pombal e de Famalicão e também onde se juntam os da região da linha de Aveiro e da Figueira da Foz. Estarão presentes ainda nos itinerários secundários oriundos das Beiras, Guarda, Castelo Branco, Torres Vedras, Aljubarrota e outros", explica o major.

E porque todos os cuidados são poucos, o oficial da GNR deixa alguns conselhos a quem vai peregrinar este ano. "Devem caminhar em fila indiana na berma contrária ao sentido do trânsito, devem usar sempre coletes reflectores de dia ou de noite. Os que se deslocam em grupos devem sinalizar o princípio e o fim dos grupos, devem evitar auscultadores para ouvir música, porque podem ser inibidores de algum sinal de aviso, e não devem andar sozinhos durante a noite."