Tempo
|

Papa

"A Igreja não pode ser uma 'babysitter' para os cristãos"

17 abr, 2013

Francisco apela aos leigos para assumirem as suas responsabilidades de baptizados.

"A Igreja não pode ser uma
O Papa Francisco rejeita uma Igreja feita de rotinas, em que os fiéis se contentam com o baptismo e que seria apenas uma simples "babysitter", cuja missão seria adormecer as crianças que lhe foram confiadas.

"Por vezes, pensamos: fui baptizado, fiz a primeira comunhão, a confirmação, o meu bilhete de identidade está em ordem. Agora posso dormir tranquilo: sou cristão", começou por dizer esta quarta-feira, durante a missa diária na casa de Santa Marta, no seu estilo simples e cheio de imagens.

"Mas onde está a força do Espírito que te faz avançar?", prosseguiu, pedindo uma Igreja "mãe" cujas crianças se sentem levadas a transmitir a mensagem que receberam. Quando isto não é feito, afirmou o Papa Francisco, a Igreja não se transforma numa mãe, mas numa "babysitter" cuja função é adormecer a criança.

"A Igreja não pode ser uma 'babysitter' para os cristãos, deve ser uma mãe e é por esta razão que os leigos devem assumir as suas responsabilidades de baptizados", disse perante os funcionários do banco do Vaticano, que assistiram à missa, pedindo aos católicos que saiam de si mesmos, dos pensamentos habituais e dos caminhos já percorridos.

O novo Papa argentino vive na casa de Santa Marta desde que foi eleito, a 13 de Março, e ainda não se mudou para o apartamento papal. Francisco celebra todos os dias missa na capela desta casa, recebendo diferentes categorias de funcionários do Vaticano.


[notícia corrigida às 18h29]