Tempo
|

Patriarca diz que gestos do Papa surpreendem mesmo quem o elegeu

08 abr, 2013 • Paula Costa Dias

D. José Policarpo destaca o privilégio aos pobres "reflectido na rejeição dos símbolos exteriores da grandeza do ministério".

Patriarca diz que gestos do Papa surpreendem mesmo quem o elegeu
O Cardeal Patriarca de Lisboa e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) considera que os gestos do novo Papa estão a surpreender mesmo os que o elegeram e diz que estes são sinal de esperança para a Igreja Católica.

Os bispos portugueses reuniram pela primeira vez em assembleia plenária depois da eleição do novo Papa e enunciaram em Fátima as linhas de força do pontificado do Papa Francisco que indiciam mudança: o privilégio aos pobres e marginalizados reflectido na rejeição dos símbolos exteriores da grandeza do ministério, a predilecção pelos jovens e a afirmação da actualidade do espírito conciliar para uma "primavera da Igreja".

O cardeal refere que estes gestos do Papa representam um sinal de esperança, o que, desde logo, significa reformas na Igreja, a começar pela Cúria. O objectivo será conduzir o ministério Papal à sua verdade e funcionalidade, dando prioridade, sustenta o cardeal, à vitalidade pastoral em detrimento da burocracia.

Por fim, o presidente da CEP faz um convite aos restantes bispos: que se associem ao pedido do Papa Francisco para que se consagre a Nossa Senhora de Fátima o seu novo ministério.

Em análise nesta assembleia plenária vai estar uma nota pastoral intitulada "Promover a renovação da Pastoral da Igreja em Portugal", além de uma outra que pretende dar força à família em tempos de crise.