Tempo
|

Onde o objectivo não é dar comida às pessoas, é ajudá-las a sentirem-se pessoas

07 abr, 2013 • Filipe d’Avillez

Jónatas Pires, dos Pontos Negros, é autor das músicas de um CD cujas vendas ajudam o “Serve the City – Lisboa” a servir a comunidade sem-abrigo de Lisboa. Saiba como pode ajudar.

De quinze em quinze dias um grupo de voluntários prepara uma refeição para cerca de 250 pessoas. Para além dos próprios voluntários, que se vão revezando, os convidados são aqueles que vivem nas periferias da sociedade. Sem-abrigo, toxicodependentes ou simplesmente pessoas que vivem isoladas.

“O objectivo não é dar comida às pessoas, é darem-lhes a oportunidade de se sentirem pessoas”, explica Alfredo Abreu, coordenador do “Serve the City – Lisboa”, que sublinha que à mesma hora há vários locais à volta da cidade a fornecer comida a quem precisa.

“O nosso objectivo é criar um espaço seguro, confortável, onde as pessoas que estão na rua ou que vivem na margem, que se sentem excluídas da sociedade, possam sentar-se à mesa com os nossos voluntários para partilhar uma refeição durante duas horas, o seu percurso de vida, simplesmente partilharem o que lhes vai no coração”, adianta.

Para isto é necessário dinheiro e a organização conta com várias parcerias, desenvolvendo permanentemente esforços nesse sentido. Mas precisamente por isso foi sem hesitações que Alfredo Abreu aceitou a proposta do jovem músico Jónatas Pires, da banda Pontos Negros, quando este lhe apresentou o projecto “Tudo é Vaidade”.

Trata-se de um disco cujas músicas foram todas compostas a pensar no “Serve the City” e na sua missão, cujo lucro das vendas irá inteiramente para a organização. O nome do disco vem da abertura do livro bíblico Eclesiastes: “As imagens mais presentes neste disco são o pão, mesas vazias e mesas cheias, e também a questão da solidão, daquele sentimento de, apesar de estarmos rodeados de imensa coisa, incluindo família e emprego, podemos sentir que não temos nada. Apela a uma redescoberta daquilo que é verdadeiramente importante, o ‘ter e não ter’”.

Inspiração divina
Na verdade este é o segundo projecto nesta linha de Jónatas Pires. O “Tudo é Vaidade I” angariou cerca de 6.500 euros que continuam a ajudar crianças necessitadas em Rabo de Peixe, nos Açores. Esse projecto nasceu num campo de férias da Juventude Baptista Portuguesa e o músico não esconde a importância que a sua fé tem no seu trabalho.

“Eu tento que toda a minha música, mesmo que não tenha a palavra Cristo, ou Deus, que naquilo que eu crio transpareça a minha cosmovisão. É importante para mim que assim seja, já que vou falar é melhor que tenha alguma coisa a dizer, mas que possa ser algo que leve as pessoas a interpretar aquilo à sua maneira e descodificar aquilo que lá está. Não são músicas sobre o nada, não são um vazio intelectual ou lírico”, explica.

Para ajudar a financiar este segundo disco Jónatas Pires recorreu ao conceito de “Crowd Funding”. Através de um portal português quem quiser pode fazer um donativo. Se até ao dia 15 de Abril se conseguir o valor pretendido o projecto avança. Caso contrário fica tudo sem efeito e o dinheiro é devolvido aos beneméritos: “Numa primeira fase de recolha conseguimos juntar os fundos necessários para pagar a gravação do disco, que está agora na fase pós-produção. O que nos falta é o dinheiro para fazer as cópias físicas”. Mesmo que o valor pretendido seja superado Jónatas garante que não ganha nada com este projecto e até já tem ideia do que fazer com as “sobras”.

“Estive há dias a tocar alguns temas para alguns utentes da Comunidade Vida e Paz e foi uma experiência fantástica a maneira como as canções encontraram aquelas pessoas, e como elas se encontraram nas canções. Temos um sonho que queremos concretizar de poder oferecer o disco em leitores mp3 a pilhas aos nossos convidados da rua, para que lhes sirva de uma companhia quando eles estiverem em alturas de solidão”, explica.

Quem quiser contribuir para este projecto pode fazê-lo procurando por Tudo é Vaidade no portal PPL.com.pt. Mas é mais fácil ir a www.tudoevaidade.com onde encontra as informações todas, ou ainda www.Facebook.com/tudoevaidade