Tempo
|

Papa abre caminho à beatificação de portuguesa

28 mar, 2013

A Santa Sé reconheceu as “virtudes heróicas” a sete pessoas, o martírio por ódio à fé de outras oito e ainda o milagre atribuído a uma alemã, fundadora de uma ordem religiosa.

O Papa Francisco abre caminho à beatificação de Sílvia Cardoso Ferreira da Silva, uma portuguesa natural de Paços de Ferreira que se distinguiu pelas suas actividades sociais.

Sua Santidade aprovou a publicação do decreto que reconhece as “virtudes heróicas” de Sílvia Cardoso, que nasceu em 1882 em Paços de Ferreira.

Sílvia Cardoso, mais conhecida por ‘Dona Sílvia’, nasceu a 26 de julho de 1882, em Paços de Ferreira, Diocese do Porto, e após uma formação católica, dinamizou várias instituições, incluindo a Sopa dos Pobres (Penafiel), com prioridade à educação de crianças pobres e aos doentes, em várias regiões do país.

Amiga de Guerra Junqueiro e Leonardo Coimbra, deixou escritos espirituais e empenhou-se, durante a sua vida, em promover casas de retiros como espaços de formação católica.

Sílvia Cardoso faleceu a 2 de Novembro de 1950, em Paços de Ferreira, cidade onde se ergue uma estátua em sua homenagem que foi inaugurada pelo então cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Cerejeira.

O processo de beatificação e canonização está em curso desde 6 de Junho de 1984, tendo dado entrada na Congregação para as Causas dos Santos (Santa Sé) em 1992.

Juntamente com Sílvia Cardoso Ferreira da Silva foram reconhecidas “virtudes heróicas” a mais seis pessoas. No mesmo documento são reconhecidos os martírios “por ódio à fé” de oito pessoas. Quatro são espanhóis que perderam a vida durante a guerra civil naquele país, há ainda um húngaro e um romeno que perderam a vida às mãos dos comunistas no Bloco de Leste, e dois italianos, um dos quais morreu no campo de concentração de Dachau, às mãos dos nazis.

Por fim, o Papa reconhece ainda a validade de um milagre atribuído a uma freira alemã, fundadora de uma ordem religiosa.