Tempo
|

Mãe de quatro filhos mata-se pela libertação do Tibete

26 mar, 2013

Duas mulheres tibetanas imolaram-se pelo fogo no espaço de 24 horas. Ambas morreram no local. São já 111 os tibetanos que escolheram esta forma de protesto.

Kal Kiy, uma jovem mãe de 30 anos, regou-se com combustível e incendiou-se ontem no Tibete, em protesto contra a ocupação chinesa.

Esta mãe de quatro filhos tornou-se assim a 111ª pessoa a imolar-se pelo fogo como forma de reivindicar o regresso do Dalai Lama e o fim da política de repressão por parte das autoridades chinesas.

O gesto de Kal Kiy teve lugar menos de 24 horas depois do suicídio, pela mesma razão e com o mesmo método, de outra mulher tibetana, Lhamo Kyab, de 43 anos.

Pequim continua a responder a esta onda de auto-imolações com maior repressão, detendo várias pessoas acusadas de incentivar os protestos ou de divulgar imagens e informação sobre os mesmos.