Tempo
|

Sampaio teme que “austeridade rebente com o país”

14 out, 2012

Ex-Chefe de Estado, na SIC Notícias, pede consenso alargado entre partidos mas teme “explosão social incontrolável”.

Sampaio teme que “austeridade rebente com o país”

Jorge Sampaio teme uma “explosão social incontrolável” e admite que o Governo acabe por cair se continuar no mesmo caminho, apesar de esperar que ainda se consiga pôr “ordem nisto”. O antigo Presidente pede consenso alargado.

“Desde que se abra um trabalho com os parceiros sociais, com os vários actores sociais, com os jovens que andam por aí e com o partido principal da oposição, uma vez que infelizmente o Bloco de Esquerda e o PCP estão fora deste esquema”, refere.

Em entrevista à SIC Notícias, o ex-Chefe de Estado disse que há um caminho que pode deslizar para um “certo desespero” e que a democracia tem que responder com ideias. "Já toda a gente percebeu que a austeridade rebenta com o país, com os portugueses e a sua esperança, com os direitos e até com a própria democracia".

No dia em que os portugueses voltaram às ruas em protesto, Jorge Sampaio diz que “isto está a acelerar a uma velocidade vertiginosa". "Ninguém há um mês podia dizer que tinha manifestações sucessivas, muitas ordeiras, criadores de cultura na rua. Isto são coisas novas na vida portuguesa porquê? Porque há um caminho que pode deslizar para um certo desespero e, portanto, a democracia tem que responder com ideias, com aberturas partidárias, com partidos modernos que percebam qual é o diálogo a ter com as pessoas”, disse.

Sampaio refere ainda que é necessário um consenso alargado em Portugal para conseguir renegociar as condições do empréstimo com a “troika”.