Tempo
|

Marcelo defende alargamento do prazo de ajustamento

28 jun, 2012

Conselheiro de Estado afirma que não é desejável, nem existe margem para mais cortes, embora admita que “com imaginação” o Governo possa mexer nos subsídios de Natal do sector privado.

Ao contrário do que tem sido desde sempre garantido pelo primeiro-ministro, Marcelo Rebelo de Sousa afirma que Pedro Passos Coelho deve fazer de tudo para alongar esse prazo e evitar novas medidas de austeridade.

O conselheiro de Estado afirma que não é desejável, nem existe margem, para mais cortes, embora admita que, “com imaginação”, o Governo possa mexer nos subsídios de Natal do sector privado.

"Eu acho que está mais ou menos na cara que o que vão buscar, quando o Governo diz que não é só para os funcionários públicos, vão buscar aos trabalhadores que não são funcionários públicos, se for esse o caso", afirmou.

Questionado sobre se estariam em causa os subsídios de natal, o social-democrata respondeu: "Não sei, isso aí é uma hipótese mas simplesmente não sei se é sequer uma hipótese possível. O Governo tem desmentido e não é certamente uma hipótese desejável".

Marcelo Rebelo de Sousa falou à margem da apresentação da obra "Tratado de Lisboa - Anotado e Comentado", no Palácio da Bolsa, no Porto.