Tempo
|

Depois do "milagre económico", Governo vê "momento de viragem"

31 out, 2013

Ministra das Finanças acredita que o país está melhor, até mesmo para trabalhar. "Mas [trabalhar] onde, senhora ministra? Onde?", questiona a oposição.

Depois do "milagre económico", Governo vê "momento de viragem"
Depois do "milagre económico", Governo vê "momento de viragem"
A Ministra das Finanças considera que já não há dúvidas: Portugal está em plena viragem económica. Apesar disso, durante o debate desta tarde sobre o Orçamento do Estado, Maria Luís Albuquerque admitiu que a proposta de Orçamento é "dura e difícil" e tem uma margem de manobra estreita. Para a Ministra das Finanças, as medidas propostas são "equitativas, abrangentes e estritamente necessárias".

Para o Governo, não há dúvidas: a recuperação económica está aí. Primeiro foi o ministro da Economia a falar em "milagre económico", agora foi a vez da ministra das Finanças dar mostras de optimismo.

Maria Luís Albuquerque foi esta quinta-feira ao Parlamento falar sobre o Orçamento do Estado para o próximo ano e disse aos deputados e ao país que "tudo indica que estaremos, de facto, perante um verdadeiro momento de viragem".

No dia em que se ficou a saber que a taxa de desemprego em Portugal desceu para 16,3% (dados de Setembro), a ministra das Finanças destacou as melhorias registadas em alguns indicadores.

"No seu conjunto, estes progressos são notáveis e apenas foram possíveis na sequência de um grande esforço por parte de todos os portugueses", afirmou Maria Luís Albuquerque, dias depois de se ter ficado a saber que Portugal cumpriu a meta trimestral para o défice com uma folga de quase três mil milhões de euros, sobretudo devido ao "enorme" aumento de impostos, que provocou um aumento da receita fiscal. A sucessora de Vítor Gaspar acredita que o país está melhor, até mesmo para trabalhar. 

A oposição reagiu de imediato. "Mas [trabalhar] onde, senhora ministra? Onde? No Portugal onde este Governo aumentou em 30% a carga do IRS e que leva quase um mês de salário de excedente de IRS por ano?", questionou o deputado do Bloco de Esquerda Pedro Felipe Soares.

Depois da ministra das Finanças, foi a vez do responsável pela Economia falar aos deputados sobre o Orçamento do Estado. António Pires de Lima, que já tinha falado em "milagre económico", fez suas as declarações de Maria Luís Albuquerque.

"Vivemos um tempo de viragem económica. Os indicadores demonstram que a nossa economia está a mudar de sentido, de sinal negativo para sinal positivo", afirmou o ministro da Economia, que ouviu depois do Bloco de Esquerda falar "do inferno das pequenas empresas à beira da falência".

Na terça-feira, durante as jornadas parlamentares conjuntas de PSD e do CDS, António Pires de Lima afirmou que "Portugal vive um milagre económico". O ministro disse ainda que o mérito é das empresas.

"O Governo fez a sua parte, mas o principal mérito, deste - se quiserem - milagre económico, que tem a sua principal tradução na evolução das exportações portuguesas, é das empresas: elas são as verdadeiras campeãs. E é triste que a nossa oposição não saiba reconhecer o mérito destes sinais", sustentou o governante.

Um dia antes, na segunda, tinha sido o vice-primeiro ministro Paulo Portas a dizer nas mesmas jornadas parlamentares que "é possível que Portugal esteja a poucas semanas de saber oficialmente que saiu de uma recessão técnica, que consumiu qualquer coisa como mil dias muito difíceis".