|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

PS acusa ministra das Finanças de ter contruído "monumental mentira"

26 jul, 2013

Socialistas pedem a demissão da sucessora de Vítor Gaspar.

O líder parlamentar do PS defende que a ministra das Finanças "perdeu as condições para permanecer no cargo", considerando que "construiu uma monumental mentira" na comissão de inquérito aos contratos de alto risco em empresas públicas, os chamados “swap”.

"Estamos a pedir a demissão desta ministra por razoes éticas", afirmou Carlos Zorrinho em conferência de imprensa no Parlamento, apelando ao primeiro-ministro para "apreciar a incompatibilidade ética desta ministra permanecer em funções".

Os socialistas consideram que Maria Luís Albuquerque "construiu uma monumental mentira" ao ter afirmado que, na transição de pastas do Governo anterior para o actual, não lhe foi passado qualquer documento sobre os contratos de risco financeiro “swap”.

"Sabe-se agora que, no próprio dia em que tomou posse, 28 de Junho de 2011, a então secretária de Estado do Tesouro e Finanças tratou do tema em encontro com o director geral do Tesouro e Finanças que, logo no dia seguinte, lhe deu a primeira informação solicitada sobre a matéria", frisou.

No parlamento, Carlos Zorrinho disse que Maria Luís Albuquerque mentiu na comissão de inquérito e, por isso, não tem condições para continuar: “O comportamento desta ministra é inimaginável. O senhor primeiro-ministro pode queimar as mãos onde quiser os portugueses é que não podem perder mil milhões por falta de actuação.”

O Bloco de Esquerda e PCP exigiram, entretanto, o regresso da ministra das Finanças à comissão parlamentar de inquérito para de esclarecer de vez se tinha ou não conhecimento destes contratos ruinosos para o Estado.

A Agência Lusa noticiou esta quinta-feira que a agora ministra teve acesso a um ficheiro detalhado com dados minuciosos de 145 contratos de swap" na sequência de "e-mails" que trocou a partir de 29 de Junho, dois dias depois de o Governo PSD/CDS ter tomado posse, com o ex-director-geral do Tesouro e Finanças, Pedro Felício. Na altura, Maria Luís Albuquerque era secretária da Estado.

Em resposta, a ministra volta a dizer que não mentiu. Numa entrevista concedida à SIC afirmou novamente que, durante a passagem de pastas entre o actual e o anterior Governo, não foi informada sobre os contratos de alto risco realizados por empresas públicas, conhecidos como "swaps", e que resultaram em perdas significativas para o Estado.