Tempo
|

Cavaco foi ao Facebook dizer como "se defende o interesse nacional"

28 mar, 2013 • Marta Grosso

Mensagem do chefe de Estado surge horas depois de ter sido alvo de críticas de José Sócrates.

Cavaco foi ao Facebook dizer como "se defende o interesse nacional"
O Presidente da República voltou esta quinta-feira ao Facebook para dizer que é no terreno que se defende o interesse nacional "e não através de uma retórica inflamada e vazia de conteúdo". A mensagem de Cavaco Silva surge horas depois de ter sido acusado por José Sócrates de estar na origem da crise política de 2011 e da queda do Governo PS.

No texto que publicou no Facebook, o Presidente da República começa por destacar seis empresas que visitou recentemente e sublinha depois como é que, no seu entender, se contribui para tirar o país da crise. "É estimulando, apoiando e dando visibilidade a empresas como estas, e não através de uma retórica inflamada e vazia de conteúdo, que se defende o interesse nacional e se contribui para a recuperação económica e para o combate ao desemprego", escreveu o chefe de Estado no Facebook.

"Devemos apoiar o empreendedorismo, valorizar a iniciativa empresarial e reconhecer o valor daqueles que têm mérito, talento e conhecimento. Esse é um caminho decisivo para enfrentar a situação dramática que é o desemprego de tantos milhares de portugueses e abrir uma janela de esperança para os nossos jovens", refere ainda.

No "post" publicado no Facebook, o chefe de Estado não faz qualquer referência ao nome de José Sócrates. O ex-primeiro-ministro, numa entrevista concedida quarta-feira à RTP, afirmou que não reconhece "no Presidente da República nenhuma autoridade moral para dar lições de lealdade institucional" e deu dois exemplos.

"Em 2009, nasceu na casa civil do Presidente uma conspiração organizada e inventada contra o Governo, alegando que o Governo estava a espiar o Presidente. O Presidente, na altura, chamou os responsáveis pela segurança no país para fazer perguntas sobre as comunicações, dando uma espécie de confirmação da notícia de que as comunicações estavam ameaçadas. Por outro lado, nunca tomou nenhuma atitude com o assessor de imprensa que planeou, concebeu e executou esse plano. Aliás, [esse assessor]foi promovido", argumentou José Sócrates.

Por outro lado, o ex-primeiro-ministro afirmou que o discurso de Cavaco Silva na tomada de posse para o segundo mandato "foi de oposição ao Governo". "A verdade é que o senhor Presidente da República fez tudo para haver uma crise política e foi a mão escondida atrás dos arbustos da crise política", acusou José Sócrates.