Tempo
|

Banca espanhola à beira de regaste europeu

06 jun, 2012 • Daniel Rosário

Montante dirigido apenas ao sector bancário pode superar os 78 mil milhões de euros emprestados pela “troika” a Portugal. Junho é mês decisivo para a Zona Euro, com vários encontros de líderes e as eleições legislativas na Grécia.

Banca espanhola à beira de regaste europeu
O Governo espanhol poderá estar prestes a conseguir dos parceiros europeus um apoio financeiro destinado apenas ao sector bancário, evitando assim o recurso a um resgate semelhante ao de Portugal, Grécia e Irlanda.

A forte pressão dos mercados ao longo das últimas semanas fez disparar as taxas de juro exigidas ao país para níveis cada vez mais insustentáveis e deixou a nu a fragilidade da banca espanhola, cujas necessidades do sector poderão obrigar à mobilização de um montante superior aos 78 mil milhões de euros que Portugal pediu à União Europeia e ao FMI.

Por questões políticas, Madrid recusa um resgate idêntico ao português e quer limitar o financiamento e as obrigatórias contrapartidas ao sector bancário, que terá certamente que sofrer uma forte reestruturação. O peso do país e as implicações de uma quebra para o conjunto da zona euro obrigam os demais parceiros tentar acomodar a exigência espanhola.

Mês decisivo na Zona Euro com eleições e cimeiras
O assunto vai marcar as próximas semanas, que prometem fazer de Junho um mês decisivo para a Zona Euro. É mais um dos vários momentos decisivos registados desde o início desta crise que abala o euro.

Na próxima segunda-feira o Fundo Monetário Internacional (FMI) vai divulgar a sua avaliação sobre o estado de saúde dos bancos espanhóis, que estão a ser igualmente objecto de uma auditoria externa.

No dia 17 realizam-se as eleições na Grécia, que podem deixar a Zona Euro novamente à beira de um ataque de nervos e nos dias 18 e 19 os líderes dos 20 países mais poderosos do mundo, o G20, encontram-se no México com a situação europeia no centro das atenções.

Dia 21 de Junho são os ministros das Finanças da Zona Euro que têm encontro marcado e dia 22 decorre em Roma uma mini cimeira organizada pelo primeiro-ministro italiano, que juntará o presidente francês, a chanceler alemã e o primeiro-ministro espanhol.

Estes quatro responsáveis juntar-se-ão aos chefes de Estado e de Governo dos demais países da União, nos dias 28 e 29 de Junho em Bruxelas, para uma cimeira em que se espera que sejam tomadas decisões as decisões sobre Espanha, capazes de tirar a Zona Euro deste novo aperto.