Tempo
|

“Lugar dos judeus franceses é em França”. PM lamenta apelo ao êxodo

16 fev, 2015

Centenas de túmulos foram profanados no cemitério judeu de Sarre-Union e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, apelou aos judeus europeus a mudarem-se para Israel.

“Lugar dos judeus franceses é em França”. PM lamenta apelo ao êxodo

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, exortou, esta segunda-feira, os judeus de França a permanecerem no país, depois de centenas de túmulos judaicos terem sido profanados e de o primeiro-ministro israelita ter apelado aos judeus da Europa para emigrarem para Israel.

"A minha mensagem para os judeus franceses é a seguinte: a França também foi ferida e a França não quer que vocês se vão embora", disse Valls.

"Lamento os comentários de Benjamin Netanyahu. O lugar dos judeus franceses é em França", afirmou.

Centenas de túmulos foram profanados no domingo no cemitério judeu de Sarre-Union, leste de França, anunciou o ministro da Administração Interna francês, Bernard Cazeneuve, que condenou "com grande firmeza" este "acto odioso".

"A República não vai tolerar este novo ataque que atinge os valores partilhados por todos os franceses", declarou Cazeneuve, sem adiantar pormenores sobre o ataque de profanação.

O presidente François Hollande também falou sobre o assunto: “Tudo será feito para que os responsáveis por estes actos hediondos e bárbaros sejam identificados e punidos”.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, apelou no domingo aos judeus europeus a mudarem-se para Israel na sequência dos atentados em Copenhaga contra a principal sinagoga da capital dinamarquesa.

"De novo um judeu europeu foi morto por ser judeu e este tipo de atentados deve ocorrer novamente", advertiu o primeiro-ministro israelita, indicando que o seu país está preparado para "acolher uma imigração em massa proveniente da Europa".