Tempo
|

Mais de cinco mil europeus na Síria representam "ameaça terrorista mais séria" da última década

13 jan, 2015

A Europol calcula que entre três a cinco mil europeus radicais possam voltar da Síria com intenções de perpetuar ataques semelhantes aos da semana passada em França.

Mais de cinco mil europeus na Síria representam "ameaça terrorista mais séria" da última década
O director da organização policial europeia, a Europol, avisou que cerca de cinco mil europeus estão a participar nos confrontos armados na Síria, o que representa a maior ameaça à segurança do continente nos últimos dez anos.

"Esta é certamente a ameaça terrorista mais séria que a Europa já enfrentou desde o 11 de Setembro [de 2001]", disse esta terça-feira Rob Wainwright, director da Europol, num comité do parlamento britânico.

Wainright calcula que entre três a cinco mil europeus radicais possam voltar da Síria com intenções de perpetuar ataques semelhantes aos da semana passada em França.

Na base de dados da Europol já estão inseridos 2.500 destes suspeitos.

Rob Wainwright também destacou o problema das "células terroristas adormecidas", como pode ter sido o caso dos dois irmãos responsáveis pelo ataque ao jornal francês "Charlie Hebdo". Chérif e Said Kouachi tinham estado no Iémen em 2011 para treino e financiamento.

"O problema com que estamos a lidar hoje em dia não é só sobre a Síria ou o Iraque mas sobre outras redes terroristas pelo mundo, em África, na Península Árabe, por exemplo, que 'franchisaram' movimentos da Al-Qaeda”, disse.

O director da Europol também criticou que, actualmente, as forças de segurança "não têm a capacidade para proteger totalmente a sociedade deste tipo de ameaças", referindo-se sobretudo às ferramentas de vigilância "online".