Tempo
|

Estado Islâmico executa mais de 200 homens no Iraque

30 out, 2014

Duas valas comuns foram descobertas com corpos de homens dos 18 aos 55 anos, membros de uma tribo sunita.

Militantes do Estado Islâmico (EI) executaram, pelo menos, 220 iraquianos de uma tribo sunita que se opôs à ocupação do seu território na zona ocidental do país.

Duas valas comuns foram descobertas esta quinta-feira contendo os corpos de homens da tribo que o Estado Islâmico tinha ocupado esta semana.

As vítimas, que apresentam ter idades entre os 18 e os 55 anos, terão sido abatidos a tiro a curta distância.

Os jihadistas tinham ordenado aos homens da tribo que deixassem as suas aldeias e seguissem para outra cidade, a 130 quilómetros, prometendo-lhes “uma passagem segura”. De seguida foram raptados e mortos.

Já em Junho o Estado Islâmico executara 600 prisioneiros da Prisão de Badoush, perto da cidade de Mossul.

Liderado por Abu Bakr al-Baghdadi, o EI anunciou em Junho de 2014 a restauração de um califado onde impõe a sharia (lei islâmica).
O Estado Islâmico ocupa uma faixa de território que abrange parte da Síria e do Iraque.



O que é o Estado Islâmico?