Tempo
|

Vídeo com refém compara intervenção na Síria à do Vietname

23 set, 2014

Jornalista britânico passa a mensagem: Os governos ocidentais estão a entrar numa guerra de grandes proporções no Iraque e na Síria.

Vídeo com refém compara intervenção na Síria à do Vietname
O Estado Islâmico divulgou, esta terça-feira, um novo vídeo, no qual o refém britânico John Cantlie surge, sozinho, comparando o envolvimento dos Estados Unidos na Síria ao caso do Vietname.

“Neste programa, vamos ver como os governos ocidentais estão a marchar apressadamente para uma guerra no Iraque e na Síria, sem prestarem qualquer atenção às lições do passado recente”, diz o jornalista. “Desde a guerra do Vietname que não assistíamos a uma potencial desordem como esta”, acrescenta, ameaçando Barack Obama de que pode contar com a derrota nesta guerra.

A gravação de quase seis minutos tem também várias imagens intercaladas de contextualização, incluindo fotografias das pessoas nomeadas e artigos de notícias.

Na passada quinta-feira, o cidadão britânico apareceu num primeiro vídeo, vestido de cor de laranja, de modo semelhante à dos três reféns já executados, que remete para as roupas usadas pelos prisioneiros muçulmanos na prisão de Guantánamo.

Sob o título “Empresta-me os teus ouvidos”, a gravação informava que vai ser possível acompanhar John Cantlie “nos próximos programas”.

Segundo a BBC, o jornalista de 42 anos foi raptado na Síria duas vezes no mesmo ano. A primeira aconteceu em Julho de 2012 e depois de conseguir fugir com a ajuda do Exército de Libertação da Síria foi raptado pelo Estado Islâmico quando regressou ao país em Novembro.

Os militantes do Estado Islâmico já mataram três reféns - dois norte-americanos e um britânico - e raptaram um cidadão francês, no domingo, na Argélia, que ameaçaram matar, caso Paris não ponha fim à intervenção militar no Iraque, num vídeo divulgado esta segunda-feira.

Os Estados Unidos e os seus aliados  - Arábia Saudita, Jordânia, Bahrain e Emirados Árabes Unidos -  deram início aos os primeiros ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Síria esta segunda-feira.