Tempo
|

Ocidente terá ajudada a fuga de ex-ministro da Defesa sírio

06 set, 2013

Embora não haja confirmação oficial, já há mais fontes a garantir que Ali Habib se encontra em Istanbul e que poderá ser uma peça fundamental na transição do regime.

O ex-ministro da Defesa da Síria terá contado com ajuda ocidental para escapar da Síria.

A notícia de que Ali Habib, que foi ministro até 2011, pouco depois do início das revoltas contra o regime de Bashar al-Assad, tinha fugido para a Turquia ainda não foi confirmada oficialmente, mas já há mais fontes a garantir que até já se encontra em Istambul.

“A informação que tenho, de uma fonte ocidental de confiança, é de que ele já se encontra em Istambul. Habib fugiu com a ajuda de serviços secretos ocidentais, por isso não esperem que esses mesmos serviços façam declarações públicas sobre o seu paradeiro”, disse à Reuters Kamal al-Labwani, um influente dissidente sírio.

A confirmar-se o envolvimento do ocidente, tudo indica que Habib possa vir a desempenhar um papel na eventual transição do regime. O ex-ministro tem a vantagem de ser alauita, a seita xiita de Assad que domina os aparelhos do Estado. Os alauitas temem os efeitos de uma tomada do poder por parte da maioria sunita, que domina a oposição, e têm-se mantido fiéis ao regime. Esse medo poderia eventualmente ser apaziguado com o envolvimento de um alauita de alto calibre num Governo de transição.

Habib entrou em choque com Assad na altura em que começaram os protestos, em Março de 2011. Alegadamente, o ministro não terá concordado com a decisão de reprimir as manifestações com tanta violência como a ordenada pelo regime. Oficialmente, Habib abandonou o seu posto em Agosto desse ano por razões de saúde, mas diz-se que terá sido afastado por Assad. Na altura foi substituído por um cristão, que morreu assassinado em Julho de 2012.

Ali Habib estava sob prisão domiciliária na sua residência no porto de Tartus, de onde terá conseguido escapar. A televisão síria disse, inicialmente, que as alegações de deserção eram falsas e que Habib estava ainda em casa, mas desde essa altura deixou de dar essa informação.