Tempo
|

Ministro egípcio sobrevive a atentado

05 set, 2013

Islamistas sobem a parada no Egipto e tentam matar o ministro do Interior, um dos responsáveis pela repressão contra as manifestações convocadas pela Irmandade Muçulmana.

O ministro do Interior do Egipto escapou, esta manhã, a uma tentativa de assassinato.

Militantes, ao que tudo indica islamistas, lançaram uma bomba contra a comitiva do ministro Mohamed Ibrahim, causando uma explosão, mas não conseguindo ferir o político.

Na sequência do ataque algumas pessoas ficaram feridas e, segundo a Reuters, dois militantes foram mortos pelas forças de segurança.

Enquanto ministro do interior Mohamed Ibrahim é um dos responsáveis pela forma como as autoridades têm reprimido as manifestações convocadas pela Irmandade Muçulmana ao longo das últimas semanas, em protesto contra a deposição do Presidente Mohamed Morsi.

O ataque à comitiva do ministro representa um aumento na escalada do conflito que actualmente opõe o Governo aos islamistas, liderados pela Irmandade Muçulmana. É pelo menos essa a convicção das autoridades egípcias. Questionado sobre este atentado, Mohamed Ibrahim respondeu que "isto não foi um fim, mas um princípio", deixando claro que o Governo antecipa uma nova onda de ataques terroristas, mas que o regime acabará por sair vencedor.

As forças armadas têm reprimido duramente as manifestações, fazendo vários mortos entre os islamistas e estes, por sua vez, deixaram um rasto de destruição em várias partes do país, atacando, entre outras coisas, dezenas de igrejas, por considerarem que os cristãos apoiam a destituição de Morsi.