Siga-nos no Whatsapp

Cegos portugueses vão ter primeira revista digital

06 ago, 2012

O número um de "Jardim da Sereia" trata assuntos das áreas da tiflologia (tratado ou estudo sobre a instrução dos cegos) e da cultura.

Cegos portugueses vão ter primeira revista digital

A Biblioteca Municipal de Coimbra (BMC) publica em Setembro a primeira edição de uma revista mensal gratuita destinada sobretudo a cegos, que será publicada em digital, braille e áudio.

Publicada simultaneamente nos três formatos, a revista vai tratar assuntos das áreas da tiflologia (tratado ou estudo sobre a instrução dos cegos) e da cultura.

Intitulada "Jardim da Sereia - Revista Inclusiva de Divulgação Tiflo-cultural", a publicação visa ser um meio "acessível a pessoas com necessidades especiais", refere, no editorial do primeiro número, o coordenador do serviço de leitura para deficientes visuais da BMC, José Guerra.

Entre as rubricas da revista figuram "Tiflologia", abordando especificidades relacionadas com as pessoas que têm deficiências visuais, e "Coimbra dos meus amores", pequenos textos sobre a cidade e que, nesta primeira edição, versa o Parque de Santa Cruz (conhecido por Jardim da Sereia), junto do qual está instalada a Casa Municipal da Cultura, onde funciona a BMC.

Em "Quando os cegos são a personagem" será publicado um conto ou um excerto cujo protagonista seja um invisual e a rubrica "Livros e Leituras" incluirá recensões ou informação sobre os audiolivros e as edições em Braille do serviço para deficientes visuais da BMC, disse José Guerra.

"Vai acontecer", com informação breve sobre programação cultural especialmente adequada a pessoas cegas, "Teclas de atalho", acerca de informática adaptada, e exemplos de boas e de más práticas em termos de igualdade de oportunidades são outras das rubricas da revista, que reserva também um espaço para os leitores e colaboradores.

O n.º 1 de "Jardim da Sereia" tem arranjo gráfico de M. C. Bastos, locução de Maria José Alegre e sonoplastia de Emanuel Laça.