Tempo
|

É dia de casamentos de Santo António e marchas populares em Lisboa

12 jun, 2012

Trânsito vai estar muito condicionado na zona da Baixa. Autocarro é o único transporte público com reforço da oferta.

É dia de casamentos de Santo António e marchas populares em Lisboa
É dia de casamentos de Santo António e marchas populares em Lisboa
Lisboa está em festa e a véspera do dia de Santo António é o dia mais marcante do mês. Pela 16ª vez, decorrem esta terça-feira os casamentos de 16 pares de noivos. À noite, é tempo para ver desfilar as marchas dos bairros lisboetas.

A Avenida da Liberdade, a Sé e os bairros típicos são os principais palcos das Festas. Às 21h00, quando as ruas dos bairros tradicionais estiverem repletas, com música popular e cheiro de sardinha em cada esquina, arranca o desfile das marchas, que este ano celebram 80 anos.

As apresentações, organizadas pela Empresa Municipal de Gestão de Equipamentos e Animação Culturais (EGEAC), incluem a marcha infantil Voz do Operário e a marcha dos Mercados (ambos extra-competição) e, como convidados, quatro agrupamentos de Macau, Emirados Árabes Unidos, Portugal e Brasil.

As vinte marchas em concurso são as de São Vicente, Belém, Alcântara, Beato, Alfama, Bica, Santa Engrácia, Carnide, Graça, Olivais, Mouraria, Marvila, Madragoa, Baixa, Penha de França, Ajuda, Campolide, Bairro Alto, Castelo e Alto do Pina, vencedor do ano passado.

Mas antes, pela hora do almoço (12h00), cumpre-se a tradição iniciada em 1958, interrompida em 1974 e ser retomada em 1997: os casamentos de Santo António.

As cerimónias civis vão decorrer nos Paços do Concelho, seguindo-se a cerimónia religiosa (com 11 casais e três “casais de oiro”, que se uniram nas antigas Noivas de Santo António e celebram agora 50 anos de matrimónio), às 14h30, na Sé de Lisboa.

Às 17h00, os casais desfilam pela cidade, seguindo-se o copo de água no Convento do Beato.


Atenção às alterações no trânsito
Devido às festas, o trânsito vai estar condicionado e até cortado na zona da Baixa, até ao Marquês de Pombal.

Alguns condicionamentos podem ser temporários durante o dia: Rua das Pedra Negras, Rua de Santo António da Sé, Rua Cruzes da Sé, Rua da Madalena, Rua da Prata, Rua da Betesga, Rossio, Praça dos Restauradores, Martim Moniz, Praça da Figueira, Av. da Liberdade, Rua dos Fanqueiros, Rua da Alfândega, Praça do Comércio, Av. Infante D. Henrique, Rua Acácio Barreiro, Rua do Açúcar, Rua do Beato.

Por causa do desfile, o trânsito vai estar cortado do seguinte modo:

• Na Av. da Liberdade, a partir das 23h00 de dia 11 às 6h00 de dia 12;

• Na Av. da Liberdade parte central, no dia 12 (esta terça-feira), a partir das 15h00, mantendo-se em circulação o troço entre a Rua Alexandre Herculano e o Marquês até às 18h30, passando a circulação a fazer-se pelas laterais até às 20h00.
O eixo central da Av. da Liberdade é reaberto ao trânsito às 10h00 do dia 13, após limpeza. As laterais podem reabrir às 8h00 de quarta-feira, caso se verifique estarem reunidas as condições para repor a circulação.

• No acesso do Túnel do Marquês, à rotunda do Marquês, dia 12, a partir das 15h00.

• A circulação no Rossio vai ficar interrompida a partir das 20h00 de hoje.


Devido à procissão, na quarta-feira, dia 13, vai ser necessário encerrar o trânsito a partir das 17h00, até cerca das 19h00, com desvios:

No sentido Rua da Madalena/Martim Moniz: Rua dos Cavaleiros, Calçada de Santo André, Largo Menino de Deus, Calçada da Graça;

No sentido contrário, a partir da Rua Voz do Operário segue pela Rua de Santa Marinha, Largo Menino de Deus, Calçada de Santo André até ao Martim Moniz.

A Procissão de Santo António parte da Igreja de Santo António e assim que terminar, se verifiquem as condições de circulação em segurança, o tráfego será restabelecido.


Carris reforça oferta. CP em greve na quarta-feira
Ao contrário do que faziam em anos anteriores, o Metropolitano de Lisboa e a CP não vão reforçar os serviços na madrugada de quarta-feira, durante a qual se prolongam os arraiais, pelo que os últimos comboios e composições de metro vão partir cerca da 1h00 de quarta-feira.

Nesse dia, devido à greve dos trabalhadores da CP, a empresa admite a supressão total na circulação nas linhas de Cascais e Sintra.

Apenas a Carris prevê alargar a circulação de quatro carreiras (748, 753, 781 e 799), que não funcionariam por ser feriado, mas que vão reforçar a oferta habitual.