Tempo
|

Ministério quer extinguir mais de 9.500 vagas de professores

02 mar, 2015 • Fátima Casanova

A situação preocupa pais e sindicatos, que pedem explicações do Governo. Professores do primeiro ciclo são os mais afectados.

Ministério quer extinguir mais de 9.500 vagas de professores
Continua a tendência para reduzir o número de professores nas escolas. Segundo o Ministério da Educação, no próximo ano lectivo podem ser extintas mais de nove mil vagas de docentes do ensino básico e secundário. A situação preocupa pais e sindicatos que pedem explicações da tutela.

De acordo com uma portaria publicada sexta-feira em "Diário da República", com o novo concurso de colocação de docentes, no próximo ano lectivo, vão ser extintas mais de 9.500 vagas de professores nas escolas. O número foi apurado depois de ouvidos os directores escolares.

Estes lugares são ocupados actualmente por docentes dos quadros, mas vão deixar de existir caso estes professores mudem de escola ou passem à reforma.

Para Lucinda Manuela, dirigente da Federação Nacional da Educação, o número agora apurado é excessivo. Por isso, a FNE quer explicações da tutela: "Gostaríamos muito de saber como é que estas vagas foram apuradas, acho que é fundamental termos conhecimento dessa situação".

Também os pais estão preocupados com a possibilidade de no próximo ano lectivo mais de 9.500 professores deixarem as escolas.

"Não deixa de ser preocupante, quando precisamos de combater o insucesso e o abandono, e precisamos muito de trabalhar a inclusão, no sentido de dar respostas mais específicas e adequadas a cada jovem e cada criança", diz Jorge Ascensão, presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap).

Da listagem de 28 páginas com as mais de nove mil vagas que podem ser extintas, é possível ver que os professores do primeiro ciclo são os mais afectados, podendo ver extintas mais de mil vagas principalmente nas zonas do Porto, Braga, Viana do Castelo, Grande Lisboa e Setúbal.