Tempo
|

Falta de médicos continua a provocar longas horas de espera no Amadora-Sintra

02 jan, 2015

O acesso às urgências neste hospital de Lisboa tem sido complicado desde os últimos dias do ano.

Falta de médicos continua a provocar longas horas de espera no Amadora-Sintra
Há quem esteja à espera há mais de oito horas para ser observado nas urgências do Amadora-Sintra, esta sexta-feira. O período de festas já acabou, mas a entrada no novo ano não corrigiu as dificuldades neste hospital de Lisboa, que se tem debatido com a falta de médicos.

Nesta altura, estão 52 pessoas inscritas e há 14 que ainda esperam para ser atendidas por um médico no Hospital Fernando Fonseca, conhecido como Amadora-Sintra.

"Só estão dois médicos a trabalhar, está tudo cheio de macas e não chamam ninguém. Disseram-nos que a partir das 8h00 ia haver um reforço de médicos mas não se sabe quantos", disse à Renascença Filomena Santos, que está, desde as 2h00 desta sexta-feira, a acompanhar a mãe, uma idosa de 85 anos.

Os últimos dias do ano foram complicados no Hospital Amadora-Sintra devido à falta de médicos, que trouxe problemas no acesso às urgências. Houve utentes que terão esperado 20 horas para serem atendidos.

A própria unidade hospitalar teve dificuldade para contratar profissionais para a noite de Ano Novo.

O "Diário de Notícias" revela esta sexta-feira que o hospital teve de pagar 15 euros por hora acima dos valores habituais para garantir as escalas na passagem de ano.

O hospital foi autorizado a contratar sete profissionais em contrato individual de trabalho e dez médicos em regime de prestação de serviços, tendo sido oferecido um pagamento de 30 euros por hora.