Tempo
|

Barroso diz que o Governo "fez muito bem" em dispensar última tranche

17 jun, 2014

Para o presidente da Comissão Europeia, prolongar o programa de ajustamento devido às decisões do Tribunal Constitucional teria consequências negativas na confiança dos mercados

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, disse esta terça-feira que o Governo "fez muito bem" em dispensar a última tranche do empréstimo da troika, até porque já dispõe de "condições financeiras" para o fazer.

Na opinião de Durão Barroso, prolongar o programa de ajustamento devido às decisões do Tribunal Constitucional teria consequências negativas na confiança dos mercados, o que seria "bastante penalizador" para Portugal.

“Acho que o Governo fez muito bem, e fez bem porque felizmente Portugal tem hoje uma confiança de que não dispunha há algum tempo atrás, e já tem condições financeiras para dispensar esta última tranche", disse o presidente da Comissão Europeia.

A baixa dos juros para que Portugal se financie nos mercados é um bom sinal, e prova de que o programa de ajustamento funcionou, mas há agora "muito mais coisas a fazer", nomeadamente "criar as bases para um crescimento sustentável" e acabar com "níveis tão elevados de desemprego", afirmou. 

Para Durão Barroso, o Governo mantém também presente o sinal "indispensável" para a Comissão Europeia de que vai cumprir as suas obrigações "independentemente do programa".

Estas foram declarações feitas aos jornalistas em Albufeira, no Algarve, à margem do segundo dia de trabalhos das "jornadas de estudo" do Partido Popular Europeu em Portugal, onde também o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, disse estar "absolutamente confiante" em Portugal e na decisão do Governo.

A ministra das Finanças anunciou na semana passada que o Governo abdicou de "receber o último reembolso do empréstimo" por não querer solicitar "uma nova extensão que reabrisse o programa com a troika".