Tempo
|

Primeiras chuvas trazem alerta amarelo. Protecção Civil deixa conselhos

26 set, 2013 • Celso Paiva Sol

Em Leiria, Lisboa, Santarém, Setúbal, Beja e Faro prevê-se que possam ocorrer cheias rápidas em meio urbano, o transbordo de algumas linhas de água e até a queda de estruturas e árvores.

Na perspectiva de que a próxima madrugada e manhã de sexta-feira vão ser de chuva e vento muito fortes, a Protecção Civil prepara-se para colocar seis distritos em alerta amarelo. A partir da meia-noite, o nível será aumentado nos distritos de Leiria, Lisboa, Santarém, Setúbal, Beja e Faro.

O adjunto do comando nacional de operações, Miguel Cruz, aponta algumas consequências previsíveis dessa instabilidade. “Pelo facto de serem as primeiras chuvas após o Verão, há a possibilidade de se virem a verificar cheias rápidas em meio urbano, a possibilidade de algumas inundações em zonas historicamente mais vulneráveis, e vamos estar sob efeito da forte intensidade do vento, com a possibilidade de queda de estruturas montadas ou ramos de árvores”, explica.

No sentido de minimizar os efeitos desta frente fria que está a chegar a Portugal, a Protecção Civil deixa alguns conselhos à população. Por um lado, “garantir a desobstrução de todos os sistemas de escoamento e a retirada de objectos, que possam criar obstáculos ao escoamento das águas.”

“Pela manhã, os condutores devem adoptar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias”, diz Miguel Cruz, aconselhando "uma adequada fixação de estruturas soltas, andaimes, placards e outras estruturas suspensas.”

E ainda ter “especial cuidado na circulação junto a áreas arborizadas, com atenção à queda de ramos em virtude do vento mais forte, e também junto à orla costeira e as zonas ribeirinhas”.

Culpa é de uma frente fria
Na base desta decisão, está a previsão da passagem de uma frente fria pelo Continente, que vai começar a sentir-se de madrugada na faixa litoral e estender-se ao longo da manhã para o interior. “Para a tarde, vamos passar para uma situação de aguaceiros que podem ser fortes, em especial nas regiões Norte e Centro, acompanhados de trovoada. Não quer dizer que na região sul não haja aguaceiros fortes, mas serão em especial nas regiões Norte e Centro”, prevê o meteorologista Ricardo Tavares.

De acordo com as previsões do Instituto do Mar e da Atmosfera, o dia de amanhã será o mais instável, mas ao longo de todo o fim-de-semana e durante toda a próxima semana, o céu vai estar encoberto e os aguaceiros serão uma constante.