Tempo
|

Ministro desconhece turmas com mais de 30 alunos

11 set, 2013

Nuno Crato frisa que o número máximo fixado é de 30 alunos por turma, mas admite excepções em casos especiais.

O ministro da Educação garante que tudo está preparado para que o ano lectivo comece sem incidentes e disse desconhecer casos de turmas com mais de 30 alunos no ensino secundário.

“Eu não tenho nenhuma notícia sobre 35 alunos [numa turma]. Tenho nas manchetes dos jornais, mas não me dizem qual é a escola, qual é o estabelecimento. Quando me disserem isso, nós actuaremos, porque nós actuamos de acordo com a lei”, afirmou Nuno Crato.

Questionado pelos jornalistas, o responsável frisou que o número máximo fixado é de 30 alunos por turma, mas admite excepções em casos especiais. 

“Há um número máximo fixado de 30 alunos [por turma no secundário], em condições excepcionais, que são discutidas com as escolas, nós podemos ir um pouco acima disso atendendo aos professores existentes, à escola, às condições da própria escola, às salas, etc… mas esses números eu não tenho”, referiu Nuno Crato.

O ministro da Educação falava, esta quarta-feira, na sessão solene de abertura do ano lectivo, na escola secundária Ferreira de Castro, em Oliveira de Azeméis, que também contou com a presença do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho.

O secretário-geral da Fenprof disse esta quarta-feira à agência Lusa que estão a ser constituídas turmas com 35 e 36 alunos no ensino secundário e que está igualmente a ser desrespeitado o limite para salas com alunos com necessidades educativas especiais.

"As turmas no secundário estão com 35 e 36 alunos, o que é uma vergonha", afirmou Mário Nogueira, recordando que o limite neste nível de ensino foi recentemente aumentado para 30 alunos.