Tempo
|

Quando falha a citronela, pode sempre chamar um Kamov

14 ago, 2013

Método inesperado está a ser aplicado em Silves para combater uma praga de mosquitos.

Quando o caso não é grave, acender uma vela de citronela pode ajudar a afastar os mosquitos. Mas quando se trata de uma praga que teima em não ceder, os métodos podem extremar. Em Silves, no Algarve, chamaram um helicóptero Kamov.

A zona de Armação de Pêra e de Alcantarilha é afectada há semanas por uma praga de mosquitos e foi encontrada uma alternativa incomum para atacar o problema. 

A estratégia consiste na combinação dos ventos fortes originados pela rotação das pás do helicóptero com o consequente turbilhão nas águas da ribeira de Alcantarilha. A acção vai contribuir, segundo a Câmara de Silves, para destruir a população de mosquitos adultos e de ovos.

A autarquia já esteve esta quarta-feira a supervisionar as operações levadas a cabo no terreno pelo helicóptero Kamov, no mais recente episódio da guerra que tem vindo a travar contra a praga que assola o concelho desde o mês passado.

De acordo com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), na origem da infestação estiveram a ruptura numa conduta de água e três descargas de águas tratadas e de cultivo. 

A Câmara de Silves está desde final de Julho a intensificar e alargar a desinfestação de mosquitos no local. Depois da utilização de pesticidas, que está a ser aplicado em doses reforçadas, há agora a esperança que a acção com o helicóptero ajude a exterminar a praga.