Tempo
|

Atenas vai ter de esperar. Nova tranche de ajuda bloqueada

21 nov, 2012 • Daniel Rosário, em Bruxelas

Mais de 10 horas de discussão não foram suficientes para libertar mais 44 mil milhões de euros. “Não sei quando é que isso poderá acontecer”, mas “estamos próximos de um resultado”, diz Jean-Claude Juncker, presidente do Eurogrupo.

Atenas vai ter de esperar. Nova tranche de ajuda bloqueada
Depois de mais de 11 horas de reunião, os ministros das Finanças da Zona Euro separaram-se sem chegar a acordo em relação à Grécia.

Mas, ao contrário do que tem sido recorrente nesta crise, desta vez a bola está do lado dos credores internacionais. O presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, reconhece que Atenas fez tudo aquilo que lhe foi pedido, mas não se compromete com uma data para desbloquear a próxima tranche da ajuda financeira.

“Não sei quando é que isso poderá acontecer. Estamos muito impressionados pelo que a Grécia fez nas últimas semanas e dias. A Grécia implementou todas as acções prévias que lhe foram recomendadas. Por isso, a Grécia cumpriu a sua parte, agora cabe-nos a nós cumprir”, afirmou.

Em causa está o desentendimento entre o Fundo Monetário Internacional (FMI) e os parceiros europeus, mas também no seio da Zona Euro sobre a forma de reduzir a dívida grega para níveis considerados sustentáveis.

Caso nada seja feito, a dívida grega em 2020 será de 140%, quando o valor considerado viável é de 120%. Para o alcançar estão em cima da mesa medidas como a redução das taxas de juro dos empréstimos ou o prolongamento das respectivas maturidades, que podem ter implicações políticas e orçamentais para vários países do euro.

Não obstante, e apesar de não esconder a sua desilusão, Juncker acredita que se está próximo de um acordo.

“Estou um pouco decepcionado, mas tenho que admitir que as questões técnicas são de natureza muito complicada. Há cálculos exactos que têm de ser feitos nos próximos dias, pois não foi possível efectuá-los de forma adequada hoje. Estamos muito próximos de um resultado, não há verdadeiramente nenhum obstáculo maior”, previu.

Os ministros das Finanças dos 17 têm novo encontro marcado para segunda-feira, dia 26. Até lá, Atenas fica à espera da próxima tranche de ajuda, cujo montante pode ascender aos 44 mil milhões de euros.