Tempo
|

Novo chefe do FMI para Portugal defende políticas activas de emprego

01 mar, 2012

Abebe Selassie mostra-se contra mais cortes nos salários.

Novo chefe do FMI para Portugal defende políticas activas de emprego
O novo chefe de missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Portugal defende que o Governo deve implementar políticas activas de emprego, para que o crescimento da economia seja mais evidente no próximo ano.

Numa entrevista ao “Jornal de Negócios”, Abebe Selassie defende que o Governo português tem de tomar medidas para combater o desemprego. Os custos do trabalho são cerca de 15% mais elevados do que deviam, mas a solução não passa por cortes e mais cortes – o que se pretende é melhorar a competitividade, pois só assim se garante um crescimento sustentável.

O responsável etíope faz uma avaliação positiva ao programa de ajustamento, destacando as reformas estruturais empreendidas, nomeadamente, no mercado de trabalho, bem como os sinais positivos na redução do défice.

Numa altura em que o Partido Socialista sobe o tom das críticas ao programa de ajustamento, o chefe da missão do FMI para Portugal sublinha a importância de a maioria da população apoiar o programa, porque com contestação nas ruas não há reformas e elas são essenciais para sair da crise.