Tempo
|

Novos cortes na função pública não acumulam com os anteriores

10 out, 2013 • Eunice Lourenço

Vai entrar em vigor uma nova tabela salarial, que prevê cortes até 10%.

O conselho de ministros está a discutir novos cortes nos salários da função pública. A medida, ao que avançou à Renascença fonte governamental, ainda não está fechada, mas a mesma fonte garante que este novo corte não será cumulativo com o corte médio de 5% iniciado em 2011 e ainda em vigor.

Ou seja, os cortes temporários decididos por Teixeira dos Santos e José Sócrates caem, tal como vão cair as várias tabelas salariais da função pública. Por outro lado, entrará em vigor uma nova tabela salarial – a tabela única –, que representará um corte que pode ir até 10% e que começa nos salários acima dos 600 euros.

O corte será progressivo - quanto maior o salário, maior o corte. Nos salários ligeiramente superiores a 600 euros, o corte não pode levar a uma descida do ordenado abaixo desse valor.

A medida continua a ser trabalhada na reunião do conselho de ministros, que começou esta quinta-feira e que vai ser retomada no domingo. O Orçamento do Estado tem de ser entregue no Parlamento na próxima terça-feira.