Tempo
|

Testemunha confirma reunião entre Sócrates, Freeport e Câmara de Alcochete

26 mar, 2012 • Carla Fino

Ex-secretário de Estado do Ambiente aponta celeridade na aprovação do processo, a três dias das eleições legislativas de 2002, como "coincidência".

Testemunha confirma reunião entre Sócrates, Freeport e Câmara de Alcochete
O ex-secretário de Estado do Ambiente, Rui Gonçalves, confirmou esta segunda-feira em tribunal a reunião entre o presidente da Câmara de Alcochete, José Inocêncio, o ex-ministro do Ambiente José Sócrates e os promotores do Freeport.

O encontro foi marcado a pedido do autarca, cujo objectivo era avaliar as razões pelas quais tinha sido chumbado o projecto em Dezembro de 2001, revelou Rui Gonçalves na sessão desta segunda-feira do caso Freeport, no Tribunal do Barreiro.

Ao procurador do Ministério Público, o antigo secretário de Estado do Ambiente disse não se lembrar de quem eram os elementos que representavam o “outlet” de Alcochete, desconhecendo se eram Charles Smith e Manuel Pedro.

Rui Gonçalves alega que a declaração de impacto ambiental veio a ser favorável ao Freeport porque os seus promotores acabaram por dar respostas às questões levantadas.

A questão da celeridade da aprovação do processo foi questionada tanto pelo procurador como pelo colectivo de juízes. O facto de os promotores do Freeport saberem com exactidão a data da decisão do despacho, decisão que acabaria aprovada em 2002 a três dias das eleições legislativas, é apontado como uma “coincidência” por Rui Gonçalves.

Foi ainda ouvido José Pedro Ferreirinha, o advogado do Freeport, da sociedade Vieira de Almeida, que disse desconhecer qualquer tentativa de contribuição em dinheiro, alegando que se fosse do conhecimento dos advogados, agiria em conformidade.

Durante a tarde de segunda-feira o Tribunal do Barreiro vai ouvir os representantes da RJ McKinney, empresa proprietária dos terrenos onde está o situado o “outlet” de Alcochete.