Tempo
|

Anel do pescador do novo Papa é de prata e não de ouro

19 mar, 2013 • Filipe d’Avillez

O anel do pescador, cujo nome deriva do facto de São Pedro ter sido pescador de profissão, é um dos principais símbolos do Papa.

Anel do pescador do novo Papa é de prata e não de ouro
O Papa Francisco recebeu esta terça-feira os dois símbolos da sua autoridade, o anel do pescador e o pálio. O anel é de prata e não de ouro, mais um gesto de simplificação dado por este Papa, que já disse que quer uma "Igreja pobre para os pobres".

A cerimónia decorreu durante a missa inaugural do pontificado, no Vaticano, e foi mais simples que anteriores. O anel do pescador, cujo nome deriva do facto de São Pedro ter sido pescador de profissão, é um dos principais símbolos do Papa e é sempre destruído após o fim de um pontificado.

Os anéis variam ligeiramente em estilo e no seu desenho, mantendo alguns traços de continuidade, nomeadamente a figura de São Pedro e as chaves, que simbolizam as chaves do reino de Deus que lhe foram entregues por Cristo.

Outro símbolo que o Papa recebe é o pálio, uma espécie de cachecol feito de lã de ovelhas benzidas no dia de Santa Inês. O pálio é concedido pelo Papa aos arcebispos e costuma ser ornado por cruzes pretas. No caso do Papa ,as cruzes são encarnadas.

A missa que decorreu esta terça-feira na Praça de São Pedro assinala formalmente a inauguração do pontificado, mas não se trata de uma entronização. A catedral do Papa não é a basílica de São Pedro, mas sim a Arquibasílica de São João de Latrão. É lá que os Papas tomam formalmente posse da sua cátedra. A esta cerimónia chamava-se, normalmente, entronização, embora o termo tenha caído em desuso.

O documento de João Paulo II "Universi Dominici Grecis" não estabelece um prazo para a tomada de posse, referindo apenas que esta deve decorrer "dentro do espaço conveniente de tempo". Segundo o director da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, é natural que a cerimónia decorra apenas depois da Páscoa.