Tempo
|

Papa Francisco

"Foram buscar-me ao fim do mundo"

13 mar, 2013 • Matilde Torres Pereira

Cardeal Jorge Bergoglio é o Papa das estreias: é o primeiro Francisco, o primeiro sul-americano, o primeiro jesuíta, o primeiro a rezar com o povo na sua apresentação. No discurso que fez na varanda da Basílica de São Pedro, pediu que se rezasse por Bento XVI, a quem já telefonou.

"Foram buscar-me ao fim do mundo"
"Foram buscar-me ao fim do mundo"
O recém-eleito Papa Francisco, o jesuíta argentino Jorge Mário Bergoglio, foi a supreendente escolha do colégio cardinalício. Da varanda da Basílica de São Pedro, no Vaticano, foi o próprio que o reconheceu. "Irmãos e irmãs, boa noite. Como sabeis, o dever do Conclave era dar um Bispo a Roma, mas os meus irmãos cardeais foram buscá-lo quase ao fim do mundo", afirmou.

Veio do outro lado do Atlântico. O recém-eleito Papa Francisco, o jesuíta argentino Jorge Mario Bergoglio, foi a supreendente escolha do colégio cardinalício. Da varanda da Basílica de São Pedro, no Vaticano, foi o próprio que o reconheceu. "Irmãos e irmãs, boa noite. Como sabeis, o dever do Conclave era dar um Bispo a Roma, mas os meus irmãos cardeais foram buscá-lo quase ao fim do mundo", afirmou.

"Agradeço-vos o acolhimento. À comunidade diocesana de Roma, agradeço. Antes de mais, gostaria de fazer uma oração pelo Bispo Emérito Bento XVI. Façamo-lo todos juntos para que o Senhor o abençoe e Nossa Senhora o proteja", disse. Depois, surgiu algo inédito na primeira aparição pública de um Papa: rezou um Pai Nosso e uma Avé Maria em conjunto com os milhares de fiéis que o aclamavam na Praça.

"Agora começamos este caminho, Bispo e povo, Bispo e povo, pelo caminho da Igreja de Roma que preside na caridade a todas as igrejas, um caminho de fraternidade, amor e confiança entre nós", referiu o Papa Francisco antes de começar a orar. "Rezemos uns pelos outros, pelo mundo, para que exista uma grande fraternidade. Que este caminho da Igreja que começamos hoje seja um impulso para a evangelização desta tão bela cidade", referiu, num apelo à união da Igreja.

"Gostava de vos dar a bênção, mas peço-vos primeiro que rezem ao Senhor para que me abençoe, que abençoe o seu Bispo. Façamos silêncio neste momento de oração de vós por mim", acrescentou, inclinando-se para a multidão.

Depois, a Praça de São Pedro fez então silêncio. Uns momentos depois, o Papa abençoou os fiéis com a oração "Urbi et Orbi", que concede a indulgência plenária não só aos fiéis presentes, mas a todos que acompanham pela rádio ou televisão. "Agora dou vos a bênção e a todo o mundo, a todos os homens e mulheres de boa vontade. Que os Santos Apóstolos Pedro e Paulo, em cujo poder e autoridade temos confiança, intercedam por nós junto ao Senhor. Amen."

De seguida, deixou um "até já". "Agradeço-vos muito. Rezem por mim, vemo-nos brevemente. Vou rezar a Nossa Senhora. Boa noite e bom descanso".

Por fim, o novo Papa, que até então se tinha mantido sério, esboçou um grande sorriso.