Tempo
|

Carlos Moedas garante que surpresas desagradáveis acabaram

18 out, 2011 • Raquel Abecasis

Criação de uma nova sobretaxa sobre os rendimentos não está em cima da mesa, assegura o secretário de Estado. 

“As contas relativas a este ano estão apuradas” e, por isso, não são de esperar novos “buracos”, garante o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, em entrevista ao programa “Terça à Noite” da Renascença.

O responsável do Governo pelo acompanhamento das medidas do memorando da “troika” diz ainda que não está em cima da mesa  a hipótese de em 2012 vir  a ser criada nova sobretaxa sobre os rendimentos, já que este Orçamento está feito e “o que está definido no Orçamento é muito claro e muito realista”.

Carlos Moedas considera que o Orçamento do Estado para 2012 é orçamento necessário para cumprir o memorando da “troika” e, como tal, espera que o Partido Socialista actue de acordo com o que assinou.

Num registo mais pessoal, o secretário de Estado considera positivo que muitos jovens estejam a partir para fora do país, mas diz que também é importante que possam voltar.

Espera que não lhes aconteça como ocorreu com a si próprio, que levou quatro anos a tentar voltar para Portugal. “O que é triste é que queiram voltar e não consigam porque o país não lhes dá oportunidade, espero que isso venha a mudar no futuro”.