Tempo
|

Vai pedir dinheiro ao banco? Comissões podem ultrapassar os 1000 euros

29 mai, 2012 • Sandra Afonso

Desde estudo do processo a formalização do dossier, são vários os nomes das comissões baptizadas pelos bancos nos créditos. E as conta à ordem não estão a salvo.

Está cada vez mais caro pedir um empréstimo ao banco. No último ano, só no crédito à habitação, as comissões iniciais aumentaram 18% num empréstimo de 150 mil euros. Os dados são do relatório de supervisão comportamental do Banco de Portugal e o crédito ao consumo também é visado.

Os nomes atribuídos às comissões variam de banco para banco – desde o estudo do processo à abertura de crédito ou formalização do dossier. No mínimo, custam 300 euros, mas podem chegar aos 1.175. Existem ainda as comissões cobradas durante o contrato, que também aumentaram - 13%.

No crédito pessoal ou para consumo, subiram, em média, 15%, tendo em conta um crédito de 10 mil euros. Cerca de metade das instituições analisadas subiram bastante este tipo de despesa.

Mas abrir e manter uma conta à ordem também tem mais despesas associadas. No início do ano, podiam ir até aos 80 euros anuais – um aumento, em média, de 6% face ao ano anterior.

Mas nem todas têm custos associados: metade dos bancos analisados não cobra comissões a quem tem um saldo mensal acima de 3.500 euros, por exemplo.

Para as empresas, estas comissões podem ir até aos 300 euros.

O Banco de Portugal revela ainda que, ao longo de 2011, instaurou 38 processos de contra-ordenação a instituições de crédito.

Quanto a reclamações, há menos portugueses a apresentar queixa, mas são cada vez mais os que têm razão – em média, seis em cada 10 clientes.