Tempo
|

Bancos ignoram supervisor e aumentam comissões

11 ago, 2015

Depois de subirem as comissões nos cartões de crédito, agora os bancos chegaram aos cartões de débito, contas à ordem e aos saldos elevados. Deco fala num “aumento concertado”.

Bancos ignoram supervisor e aumentam comissões
Os bancos continuam a aumentar comissões bancárias, sempre acima da inflação. São subidas que chegam a ultrapassar os 20%.

Nos últimos anos os preçários da banca têm vindo a sofrer grandes alterações e as alterações não param. Depois de aumentarem as comissões nos cartões de crédito, agora os bancos chegaram aos cartões de débito, às contas à ordem, transacções pela internet e até os saldos elevados, que tinham isenção na maioria dos bancos, começam a pagar comissão.

"As comissões continuam a aumentar, geralmente, sempre acima da inflação, e nos últimos meses detectámos que estas subidas deixaram de incidir mais sobre as comissões de manutenção e passaram a privilegiar os meios de movimentação2, explicou à Renascença o economista Nuno Rico, da Deco - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.

Também têm sido retiradas algumas das condições de isenções dessas comissões de manutenção. Por exemplo, o processo está cada vez a ser mais dificultado nas contas ordenado.

Estes aumentos dependem do tipo de produtos. "Temos aumentos que rondam os 10%, em alguns tipos de produtos, noutros é um valor um pouco menor. Mas nos cartões temos subidas, de um ano para o outro, de 20% nas unidades de cartão de débito".

O economista da Deco fala num "aumento concertado".

Há alguns meses, o Banco de Portugal recomendou que as comissões de manutenção de conta deixassem de ser cobradas em função do saldo. Mas poucos bancos acederam ao pedido e os que o fizeram alinharam as comissões pelos valores mais altos.

As comissões de manutenção de contas de depósito cobradas pelos bancos aumentaram cerca de nove euros, entre 2008 e 2013, o que representa uma subida de 23%. Os dados são do Banco de Portugal e constam de uma resposta da instituição a um requerimento do grupo parlamentar do CDS-PP.