Pedro Magalhães, investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, explica erros nas sondagens