Papa apela à criação de “verdadeiras correntes de solidariedade” e lembra que a memória “é respirar como um povo”