Amazónia, líderes imprevisíveis e protestos. O que esperar da Cimeira do G7