O "software" que acelera julgamentos e é recusado pelo Ministério da Justiça