Tempo
|

Estados Unidos

Este "muro de mães" quer proteger manifestantes anti-racismo da polícia

22 jul, 2020 - 19:02 • Redação com Reuters

Cerca de dois meses depois do início do movimento de contestação às injustiças raciais nos EUA, os protestos continuam. Trump chamou a polícia federal; grupo de mães juntou-se para proteger os manifestantes da violência policial.

A+ / A-

Vestidas de amarelo e com cartazes a dizer "vocês precisam de um tempo", um grupo de mães decidiu enfrentar a polícia federal nas ruas de Portland, Oregon, na noite de terça-feira.

O grupo procurou posicionar-se entre os agentes não identificados, vestidos com uniforme militar, e manifestantes que se manifestavam contra a má conduta policial e a discriminação racial.

O grupo de mães cantou: "as vidas negras são importantes" ("Black Lives Matter") e "os polícias racistas têm de se ir embora".

Portland já assistiu a mais de cinquenta noites de confrontos. Cerca de dois meses depois do início do movimento de contestação às injustiças raciais nos EUA despoletado pelo assassinato de George Floyd, os protestos continuam.

O presidente dos EUA, Donald Trump, ordenou que oficiais federais do Departamento de Segurança Interna combatessem as manifestações e protegessem a propriedade federal.

O prefeito de Portland e o governador do Oregon exigiram que Trump retirasse os agentes não identificados, dizendo que eles inflamaram ainda mais a agitação.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Expliquem
    23 jul, 2020 por lá 08:32
    Mulheres (e às vezes, crianças...) à frente das manifs e com camaras a filmar. Um "truque velho" já muito visto. A Lei é igual para Homens e Mulheres. Se a polícia tiver de atuar, leia-se dispersar a manif, que interessa serem mulheres?

Destaques V+