Brasil

João Lopes, o guarda-redes do Santa Clara que conhecia uma das vítimas do Flamengo

08 fev, 2019 - 17:24 • Eduardo Soares da Silva

O guardião de 23 anos, formado no Flamengo, conta à Renascença a forma como tem vivido a tragédia no clube de formação, a cerca de sete mil quilómetros de distância: "Eram meninos que procuravam o seu sonho".
A+ / A-

João Lopes, guarda-redes brasileiro do Santa Clara, conhecia um dos jovens jogadores que faleceram no Centro de Treinos do Ninho do Urubu, do Flamengo, na zona oeste do Rio de Janeiro esta sexta-feira.

À Renascença, o brasileiro de 23 anos, formado no Flamengo, partilha com tristeza a notícia do incidente no antigo clube.

"Fiquei muito triste. Passei cinco anos no Centro de Treinos do Ninho do Urubu. Ainda tinha contacto com alguns jogadores da equipa profissional, e poucos da formação, mas conhecia o Christian, um dos meninos que veio a falecer, era também guarda-redes. Tinha algum contacto com ele", começa por contar.

O fogo, que teve início durante a madrugada, vitimou dez pessoas: seis jovens jogadores do Flamengo e ainda quatro funcionários do clube. João Lopes mostrou-se triste pela destruição de um local que era rampa de lançamento para os sonhos de centenas de jovens que sonhavam representar o Flamengo.

"Estou triste não só pela tragédia em si, mas principalmente pelas perdas dos meninos que procuravam o seu sonho. A tragédia interrompeu o sonho deles. Fui assim também, trabalhei lá durante vários anos à procura de conseguir ser jogador de futebol, e consegui realizar esse sonho."

Incêndio no centro de estágios do Flamengo faz dez mortos
Incêndio no centro de estágios do Flamengo faz dez mortos

João Lopes deixou o "Fla" em 2016, sem se estrear pela equipa principal, e rumou ao Portuguesa, do quarto escalão brasileiro. A ligação ao nosso país não ficou pelo nome do clube brasileiro que representou durante duas épocas; depois disso rumou aos Açores no verão, para assinar pelo Santa Clara por empréstimo. Apesar de já ter deixado o "Ninho do Urubu" há três anos, o guardião recorda os momentos vividos com a camisola rubro-negra.

"Passei tantos momentos lá. Tenho imensas recordações felizes do centro de treinos do Flamengo. Pude aprender muito lá, com grandes profissionais do clube."

No Santa Clara, João Lopes não é o único com um passado ligado ao Flamengo. César, defesa central, representou a equipa principal do Flamengo na temporada de 2015-2016, por empréstimo do Benfica. O guarda-redes conta que a notícia afetou não só os dois jogadores, mas sim o plantel inteiro.

"Estamos todos muito tristes, não só o César e os jogadores brasileiros da equipa. Chocou-nos a todos, e também ao munto inteiro. Estamos muito tristes com o que aconteceu", contou à Renascença.

O Centro de Treinos do Ninho do Urubu é considerado um dos centros de treino mais modernos da América Latina e um dos maiores do mundo. No ano passado, foi inaugurado um novo módulo para o futebol profissional. A estrutura pré-existente foi deixada para as camadas base do clube.

Face à tragédia, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro adiou todas as partidas do campeonato estadual carioca marcadas para este fim-de-semana, onde se iriam defrontar Flamengo e Fluminense, num dos dérbis mais icónicos da história do futebol. Por agora, o futebol fica de parte.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.