Tempo
|

Habitação

Preço das casas aumenta mais de 200 euros por metro quadrado no último ano

18 jul, 2022 - 19:13 • Diogo Camilo

Inflação em março subiu aos 5,3%, mas o valor médio de venda de casas disparou 17,2% no mesmo período em relação ao ano passado. Num ano, casas na região de Lisboa ficaram 200 euros por metro quadrado mais caras. Veja a evolução do preço das habitações em cada concelho.

A+ / A-

O preço das casas vendidas em Portugal subiu 17,2% no primeiro trimestre do ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Em média, o valor das vendas de habitações por metro quadrado subiu para os 1.454 euros em 2022, quando era de 1.241 euros em março de 2021.

Segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) na passada quinta-feira, o valor mediano das casas vendidas subiu em 216 concelhos do país e desceu em apenas 65 municípios. Em Tábua, no distrito de Coimbra, manteve-se inalterado.

Veja o valor médio de venda das casas nos primeiros três meses de 2022 e a evolução em relação ao mesmo período do ano passado.

Os concelhos onde o valor mediano disparou no primeiro trimestre de 2022, em relação a igual período de 2021, ficam no interior do país: em Marvão, o preço das casas mais do que duplicou, de 286 euros para 600 euros por metro quadrado.

Em Vila Flor, Alijó, Vila Nova de Foz Côa e Moimenta da Beira, a subida foi superior a 40%.

No entanto, os municípios com maiores descidas dos preços das casas também ficam no interior: Vila Velha de Ródão (caiu 48,9%), Sernancelhe (caiu 37,3%) e Mértola (desceu 34,6%).

No mapa de variação dos preços das casas estão ainda 27 concelhos sem valores, por número reduzido de vendas a nível estatístico num dos trimestres em avaliação.

Tal como nos últimos três meses do ano passado, o preço das habitações está a subir um pouco por todo o país mas a menor ritmo em Lisboa e Porto, apesar das áreas metropolitanas serem duas das regiões que registaram um maior aumento.

A Área Metropolitana de Lisboa registou uma subida de 13% no valor mediano das casas vendidas em relação ao primeiro trimestre de 2021, com o valor por metro quadrado a aumentar em mais de 200 euros por metro quadrado.

A subida em Lisboa só chegou aos 9,3% no mesmo período, mas quer dizer que o preço médio de venda por metro quadrado ficou mais de 300 euros mais caro (de 3.333€/m² para 3.642€/m²).

Já o preço de vendas de casas na Área Metropolitana do Porto registou uma subida de 12,2% (de 1.274€/m² para 1.429€/m²), mas a cidade do Porto teve uma subida de apenas 6% (de 2.200€/m² para 2.332€/m²).

Mais de metade dos concelhos viu o preço das casas subir acima da inflação

A subida do valor mediano de venda de casas que se verificou a nível nacional, de 17,2%, fica muito acima da inflação homóloga registada em março (5,3%) - uma diferença de 12 pontos percentuais em relação à subida de preço noutros serviços.

Em 45 concelhos do país, as subidas nos preços de venda de casas foi superior à média nacional e em 173, mais de metade dos 281 municípios com dados sobre a matéria, a evolução do valor mediano das vendas de casa ficaram acima da taxa de inflação de 5,3%.

Em 24 das 25 sub-regiões do país, o preço mediano da habitação aumentou em relação ao primeiro trimestre do ano passado. O Algarve (2.237 €/m²) e a Área Metropolitana de Lisboa (1 986 €/m²) continuam a ser aquelas onde o preço das casas é mais alto, enquanto o Alto Alentejo é a única sub-região do país onde o preço é inferior a 500€/m². A Beira Baixa foi a única a ver o valor das casas descer em relação ao mesmo período do ano passado (0,5%).

Nos últimos três anos, o preço das casas subiu 36,5%, de pouco mais de mil euros por metro quadrado de média no primeiro trimestre de 2019 para quase 1.500 em 2022.

A subida foi mais notória no último ano (17,2%) do que nos dois anos anteriores, quando o preço médio de venda das casas subiu 16,5% entre os primeiros trimestres de 2021 e 2019.

Loulé passa a ser o terceiro concelho com as casas mais caras do país

Entre os concelhos onde o valor mediano de venda de casas é maior, há destaque para a saída do Porto da lista de cinco municípios onde o preço das habitações é mais alto. Apesar da subida de 6% no valor de venda, que agora é de 2.332€/m², o concelho foi ultrapassado por Lagos, onde o valor mediano é de 2.425€/m² - uma subida de 14,4% num ano.

Lisboa mantém-se como o concelho mais caro do país, com um preço por m² de 3.642 euros, enquanto Cascais, onde os preços aumentaram 14,7%, continua na segunda posição (3.184 euros/m²).

No último degrau do pódio está agora Loulé, que passou a ser o terceiro concelho mais caro do país, com um valor por m² de 2.750 euros, uma subida de 18,4%, ultrapassando Oeiras, que caiu para o quarto lugar, com um valor mediano de venda de 2.721 euros/m² - uma subida de 11,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Portugal tem mais seis concelhos onde o preço de venda de casas por metro quadrado é superior aos dois mil euros: Albufeira, Lagoa, Odivelas, Aljezur, Tavira e Vila do Bispo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+