Tempo
|
A+ / A-

Supercampeão. Sporting bate Braga e conquista primeiro troféu da época

01 ago, 2021 - 00:10 • Redação

No regresso dos adeptos aos estádios em Portugal continental, a festa da Supertaça foi verde e branca, após reviravolta (2-1).

A+ / A-

O Sporting conquistou a Supertaça, este sábado, ao derrotar o Sporting de Braga, por 2-1, no Estádio Municipal de Aveiro e com público.

Os vencedores da Taça de Portugal 2020/21 entraram melhor, sem deixar o campeão nacional jogar e a criar situações de perigo.

Aos 20 minutos, Abel Ruiz roubou a bola no ataque, atrasou para Ricardo Horta e o extremo solicitou Fransérgio com um passe longo para a entrada da área. O brasileiro recebeu orientado para trás, tirando os defesas da jogada, o que lhe deu tempo para olhar, pensar, apontar e rematar colocado para o fundo das redes, sem hipótese para Adán.

O Braga teve mais um par de situações de perigo, até que, aos 29 minutos, Nuno Mendes descortinou o movimento de rotura de Jovane Cabral e lançou-o na profundidade com um grande passe rasteiro. Na cara de Matheus, o cabo-verdiano atirou com tranquilidade para o empate.

Logo depois, lançado na esquerda por Matheus Nunes, Nuno Mendes voltou a fazer das suas e cruzou com precisão para o segundo poste, para a entrada de rompante Pedro Gonçalves que, à boca da baliza, disparou de primeira. Porém, Matheus negou o golo com uma grande defesa.

Não foi à primeira, foi à segunda. Matheus Nunes lançou Pedro Gonçalves nas costas da defesa do Braga, já dentro da área mas muito à direita e aparentemente sem ângulo. Contudo, o melhor marcador do último campeonato mostrou que não há tal coisa como "pouco ângulo" quando se é craque, com uma trivela sublime que fugiu à luva bem esticada de Matheus e só parou no cantinho superior da baliza.

Se o primeiro golo acordara o Sporting, o segundo "matou" o Braga, que nunca mais foi capaz de criar real perigo. Adán acabou por ter muito pouco trabalho, enquanto os leões resistiam ao empenho minhoto e tentavam, ainda que nem sempre com arte, marcar o terceiro golo.

Houve ainda tempo para o falhanço escandaloso da praxe. Matheus saiu da área para controlar a bola, mas perdeu-a, deixando a baliza à mercê. Pedro Gonçalves fez o mais difícil, com uma grande finta sobre Sequeira, e depois falhou o mais fácil: com a baliza escancarada, atirou ao lado.

No final, o Braga acaba por pagar a incapacidade converter o seu período de domínio em mais golos e de prolongá-lo. O Sporting recebe prémio por aproveitar o golo contracorrente para inverter o rumo do jogo e traduzir a retoma de controlo em reviravolta, sem permitir o mesmo ao rival.

No final, independentemente do vencedor, a festa mais importante foi feita nas bancadas. Os adeptos regressaram ao futebol, com mais de 7.000 a emoldurarem, em cores e coros, o Estádio Municipal de Aveiro.

Foto: Estela Silva/EPA
Foto: Estela Silva/EPA
Foto: Estela Silva/EPA
Foto: Estela Silva/EPA
Foto: Estela Silva/EPA
Foto: Estela Silva/EPA
Foto: Estela Silva/EPA
Foto: Estela Silva/EPA
Foto: Estela Silva/EPA
Foto: Estela Silva/EPA

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    01 ago, 2021 Funchal 14:01
    Quero ver na Liga dos Campeões, para Portugal chega. O Braga foi fraquinho.

Destaques V+