A+ / A-

Sérgio Conceição e o título: "Sim, acredito"

26 mai, 2023 - 12:05 • Redação

A revalidação do título, por parte do FC Porto, depende do resultado do Benfica com o Santa Clara. O que depende dos dragões, sublinha o treinador, é vencer o Vitória de Guimarães.

A+ / A-

O FC Porto vai acreditar até ao fim na possibilidade de revalidar o título de campeão nacional, mesmo não dependendo de si para alcançar esse objetivo. O contexto não é favorável, mas Sérgio Conceição espera pelo fim da última jornada para festejar o título ou resignar-se com a perda do troféu.

"Sim, acredito [na conquista do título]. Temos de ganhar o nosso jogo e, depois, por volta das 20h00, saberemos quem é o novo campeão. Acredito sempre", afirma o treinador do FC Porto, esta sexta-feira, em conferência de imprensa, no Olival.

O FC Porto está obrigado a vencer o Vitória de Guimarães, este sábado, e esperar que o Benfica perca com o Santa Clara. Caso se registe empate na Luz, o Porto terá de vencer o Vitória, por, pelo menos, 11 golos de diferença para ser campeão.

As contas são difíceis de fazer, mas Sérgio Conceição, mais do que pensar no jogo do Benfica, centra-se na dificuldade que terá pela frente no Dragão: "Espero um jogo competitivo, perante uma equipa que vem de quatro vitórias consecutivas. Espero que o Vitória faça jogo dentro do que fez nos últimos jogos".

A eventualidade de precisar de muitos golos para fazer diferença para o Benfica não mexe com o plano para o encontro de amanhã. Sérgio Conceição dá prioridade ao equilíbrio da equipa e está, em primeiro lugar, centrado em vencer o jogo.

FC Porto bem com os rivais diretos. Falhou em jogos com equipas mais pequenas

Numa avaliação sobre o percurso do FC Porto esta época, que trouxe os campeões nacionais até este momento de decisão, o técnico dos dragões admite que faltou consistência à equipa no início da época. Consistência que ganhou, sobretudo, na segunda volta. "Estamos mais maduros, mais espertos", diz o treinador, recordando que houve momentos em que os resultados castigaram a equipa.

"Se [o campeonato] fosse entre as quatro equipas da frente, estávamos à frente. Não estivemos tão bem em alguns momentos, com equipas mais pequenas", reconhece, não deixando de responsabilizar, também, as arbitragens por alguns maus resultados obtidos.

"Fomos perseverantes e resilientes. Não fizemos tudo bem e não é normal termos uma distância tão grande. Temos de ser cada vez mais fortes, mesmo quando existem adversidades, algumas inerentes ao jogo, mas às vezes junta-se uma terceira equipa que nem sempre é feliz", refere.

Sérgio Conceição recorda, ainda, que a época, para o Porto, só vai terminar na próxima semana, no Jamor, na final da Taça de Portugal, com o Braga. No sábado, os dragões entram em campo à procura de um título, dependendo de terceiros, mas já com dois troféus conquistados e em busca de um outro, em que, aí sim, dependem da própria prestação.

"Temos dois títulos ganhos. A Taça da Liga, que pela primeira vez foi para o museu, e a Supertaça. Estamos na luta por dois títulos: um depende de nós, o outro não. Até ao último segundo do jogo com o Vitória Sport Clube vamos lutar. No domingo [na final da Taça, a 4 de junho], depende daquilo que nós fizermos.

O treinador aproveitou, no início da conferência de imprensa, para "agradecer a todos os adeptos que acompanharam a equipa ao longo da época, sobretudo, aos que foram fora. Fizeram dos outros campos um mini Dragão". A assistência média, em casa, será uma das melhores de sempre do FC Porto e para o jogo com o Vitória é esperada nova enchente.

O FC Porto-Vitória de Guimarães, a contar para a última jornada do campeonato, joga-se este sábado, a partir das 18h00. À mesma hora, o Benfica recebe o Santa Clara. A decisão do título é para acompanhar integralmente na Renascença e em rr.sapo.pt.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+