Tempo
|
A+ / A-

FC Porto

Associação de Treinadores defende "direito à opinião" de Sérgio Conceição

22 out, 2021 - 21:19 • Redação

Treinador do FC Porto criticou arbitragem no jogo com o Paços de Ferreira e Associação de Árbitros fez participação junto do Conselho de Disciplina.

A+ / A-

A Associação Nacional dos Treinadores de Futebol (ANTF), defendeu o "direito à opinião" de Sérgio Conceição, depois da Associação de Árbitros ter revelado a Bola Branca que irá fazer uma participação ao Conselho de Disciplina.

Em conferência de imprensa nesta sexta-feira, o treinador do FC Porto lamentou que Taremi tenha sido rotulado como um jogador desonesto depois de ter sido expulso por simulação de um penálti que, no seu entender, é "claríssimo" e devia ter sido assinalado pelo videoárbitro.

Luciano Gonçalves, da APAF, anunciou à Renascença que vai "enviar para o Conselho de Disciplina” as declarações do técnico: "Existem discursos que não melhoram em nada a credibilidade do futebol e nós entendemos que este faz parte desse grupo de comentários desnecessários”, disse.

Em resposta, a Associação de Treinadores é do entendimento que "além da apreciação objetiva sobre a (in)competência de qualquer agente desportivo, seja ele qual for, se enquadrar no direito à opinião, dentro, claro está, do que é socialmente aceitável, no caso concreto, inexiste motivo para a instauração de qualquer procedimento disciplinar ao Treinador em causa".

O comunicado da associação refere ainda que os treinadores são "frequentemente alvo das famosas “chicotadas”, baseadas nos resultados e em tudo quanto de subjetivo possa existir, e não na sua competência, contrariamente ao que se passa em outros setores da sociedade".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+