A+ / A-

Europeus de Atletismo

Um recorde nacional de prata. Pedro Pichardo bate os 18 metros, mas não chega ao ouro

11 jun, 2024 - 20:38 • Inês Braga Sampaio

A nova marca é de 18,04 metros, mais seis centímetros que a anterior marca máxima. Tiago Pereira passou toda a final dos Europeus em terceiro, mas perdeu o bronze no último ensaio.

A+ / A-

Pedro Pablo Pichardo fixou um novo recorde nacional do triplo salto, esta terça-feira, nos Europeus de atletismo, em Roma. Ainda assim, não chegou para conquistar a medalha de ouro - mas deu para a prata.

O atleta português, de 30 anos, saltou 18,04 metros no segundo ensaio, depois de já ter aberto a final com 17,51m. Conseguiu, por fim, bater a barreira dos 18 metros, algo que procurava desde que se naturalizou português, em 2017. Ainda assim, fica a quatro centímetros dos 18,08m que conseguiu em 2015, quando ainda competia por Cuba.

Pedro Pichardo superou, desta forma, a própria marca de 17,98 metros, estabelecida a 5 de agosto de 2021, na final dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, e que era o recorde nacional até esta noite.

Porém, não conseguiu chegar a ouro. Isto porque, já depois de o português ter dispensado um ensaio para se preservar e, nos dois últimos, tentar estender a própria marca, o espanhol Jordan Díaz (curiosamente, também nascido em Cuba) saltou 18,18 metros e estabeleceu novo recorde dos Europeus - e ficou a 11 centímetros do recorde mundial, que o britânico Jonathan Edwards estabeleceu em 1995.

Desilusão maior ainda a de Tiago Pereira, que logo ao primeiro salto chegou aos 17,08 metros, o que o colocava em terceiro, mas viu o bronze escapar-lhe por entre os dedos no último ensaio. O francês Thomas Gogois alcançou os 17,38 metros e tirou o português do pódio.

A prata de Pichardo é a segunda medalha de Portugal nestes Europeus de atletismo, depois do bronze de Liliana Cá no lançamento do disco.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+