Tempo
|
A+ / A-

Laboratório de Análises de Dopagem integrado no INSA

05 mai, 2022 - 17:50 • Lusa

Decisão confirmada, esta quinta-feira, pelo Conselho de Ministros. A ideia é “garantir a independência das organizações antidopagem relativamente ao setor do desporto”.

A+ / A-

O Laboratório de Análises de Dopagem (LAD) vai ser integrado no Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), ao abrigo de um decreto-lei aprovado, esta quinta-feira, em Conselho de Ministros.

De acordo com o comunicado do Conselho de Ministros, a integração "é mais um passo no sentido de garantir a independência das organizações antidopagem relativamente ao setor do desporto" e vai "também ao encontro das determinações constantes da norma internacional de laboratórios da Agência Mundial Antidopagem (AMA)".

O LAD de Lisboa, uma unidade com autonomia técnica e científica que funciona junto do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), está suspenso desde abril de 2016 e perdeu a acreditação da AMA em outubro de 2018, face à não conformidade com os procedimentos internacionais.

Devido à suspensão, o laboratório está impedido de proceder à análise das amostras por parte de federações e organizações desportivas que tenham assinado o código mundial antidopagem.

O IPDJ assumiu a execução da "opção estratégica" do Governo na recuperação da acreditação do LAD junto da AMA, mas a auditoria final acabou por ser adiada em abril de 2020, devido à pandemia de Covid-19.

Em abril de 2020, o presidente do IPDJ, Vítor Pataco, afirmou que o "investimento global para a reacreditação do laboratório ultrapassou os dois milhões de euros em três anos", entre contratações e remunerações, formação de técnicos em laboratórios estrangeiros, modernização do sistema de gestão e aquisição de equipamentos especializados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+